» Apoio aos pequenos agricultores familiares

Os cotonicultores baianos, por meio da Abapa, vêm disseminando tecnologia de irrigação e de plantio de algodão para os pequenos agricultores familiares do Oeste e do Sudoeste da Bahia. Somente em 2019, foram doados mais 49 kits de irrigação distribuídos para propriedades de 13 municípios da região Sudoeste, como Candiba, Guanambi, Lagoa Real e Serra do Ramalho, e outros seis para pequenas localidades do município de São Desidério e Correntina, no Oeste da Bahia. A ação, realizada em parceria com as prefeituras, integra o programa de transferência de tecnologia para pequenos e médios produtores. Desde o início do projeto, em 2014, já foram contemplados cerca de 200 famílias, estimulando a vocação agrícola, fixando o agricultor no campo, e gerando renda para estas cidades.

Além dos kits de irrigação, o projeto disponibiliza no primeiro ano os materiais para o preparo de solo, sementes, adubação de base e cobertura, inseticidas, herbicida e regulador de crescimento. Os kits também contribuem com o plantio rotacionado de culturas como feijão, milho, melancia e abóbora. Os agricultores familiares recebem assistência técnica, monitoramento e visitas periódicas aos agricultores que receberam os materiais. A partir de 2018, também foram realizadas doações de sementes para agricultores de comunidades rurais de Barreiras, a exemplo da localidade de São Vicente, na zona rural de Barreiras. Cerca de 50 agricultores que integram o Programa Vale Produtivo da Prefeitura de Barreiras receberam cerca de 800 quilos de sementes .

O programa fitossanitário da entidade também realiza uma série de encontros, com orientações sobre a importância da adesão de tecnologias de irrigação e sementes, além da prevenção e manejo no controle de pragas e doenças do algodão, a exemplo do Bicudo do Algodoeiro e Mosca Branca. Por meio deste projeto, a Abapa promove a sustentabilidade e maior produtividade nas lavouras dos pequenos e médios agricultores familiares, mantendo o produtor no campo e levando mais geração de renda e oportunidades para quem vive nas áreas agrícolas do Oeste e Sudoeste da Bahia.

RELATÓRIO DE DOAÇÃO DE FEIJÃO 2018-2019

RELATÓRIO DE VISITAS TÉCNICAS APOIO A PEQUENOS PRODUTORES DE CORRENTINA

Apoio ao algodão no Sudoeste

A cotonicultura do Sudoeste da Bahia teve seu período áureo na década 80, com mais de 250 mil hectares cultivados e a geração de 220 mil empregos. Sozinha, a região era responsável por todo o algodão produzido no Estado. O cenário mudou drasticamente e a cultura declinou com o surgimento de pragas e adversidades climáticas, o que restou foi o cultivo em baixa escala, resumido à agricultura familiar e uma área de aproximadamente 5,5 mil hectares.

Como a principal atividade econômica da região era o plantio de algodão, houve uma intensa migração do campo para a cidade e uma queda da renda per capita, o que gerou graves problemas sociais para grande parte das cidades do Sudoeste baiano.

A partir de 2014 a Abapa elaborou um Projeto Piloto de Irrigação Suplementar por gotejamento para atender três produtores do município de Brumado e três, em Malhada como unidades demonstrativas do cultivo do algodoeiro em um sistema de irrigação complementar, com capacidade para irrigar uma área de até um hectare. Começava aí um processo de revitalização da atividade que pouco a pouco daria esperança aos pequenos produtores daquela região. Atualmente o que se percebe é uma retomada da cultura do algodão no Sudoeste.

Tecnologia e Sustentabilidade

Há quatro safras, a Abapa garante suporte técnico e doação de kits de irrigação por gotejamento, aspersão e microaspersão para os pequenos produtores de algodão da região. O projeto é financiado pelo Fundo para o Desenvolvimento do Agronegócio do Algodão (Fundeagro) e oferece aos pequenos produtores informações, orientações e novas tecnologias para o controle de pragas e aumento da safra. Por meio deste projeto, a entidade promove a sustentabilidade e maior produtividade nas lavouras dos pequenos e médios agricultores familiares, mantendo o produtor no campo e levando mais geração de renda e oportunidades para quem vive no sudoeste baiano. Com o trabalho de sensibilização iniciado em 2018, a Abapa também pretende colaborar com os produtores rurais no que tange à sustentabilidade das propriedades que plantam algodão, com a inclusão dos cotonicultores do sudoeste no programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR) para a certificação da Better Cotton Iniciative (BCI). A meta, para o próximo ano, é iniciar o trabalho de sensibilização e a implementação de protocolos específicos e com novos parâmetros para a certificação das pequenas propriedades, previsto para ser iniciada na safra 2019/2020.

Em 2018, Abapa intensifica projeto e doa mais 48 kits de irrigação

Visando a fomentação da agricultura familiar de pequenos produtores de algodão na região Sudoeste do Estado, desde as safras 14/15 a 17/18, a Abapa totalizou a doação de 81 kits de irrigação complementar por gotejamento aos pequenos produtores da agricultura familiar em 11 municípios do Sudoeste da Bahia. Com a presença do governador Rui Costa e do secretário de agricultor Vitor Bonfim, o presidente da Abapa, Júlio Busato, entregou mais 48 kits durante solenidade no município de Iuiú.
Ainda no âmbito do apoio aos cotonicultores da região, o Programa Fitossanitário da Abapa atendeu em 2018, com assistência técnica, suporte e apoio, aqueles que receberam os kits cujas propriedades rurais estão localizadas nos seguintes municípios: Candiba, Pindaí, Urandi, Guanambi, Palmas de Monte Alto, Malhada, Iuiu, Santana, Bom Jesus da Lapa, Caculé, Lagoa Real, Brumado, Tanhaçú, Rio do Antônio, Livramento de Nossa Senhora, Malhada de Pedras, Igaporã, Sebastião Laranjeira, Carinhanha e Serra do Ramalho.

Nestes municípios, 578 produtores em 670 propriedades receberam orientações sobre o cultivo do algodão em uma área de 10.590 hectares. Nesta região prevalece a agricultura de baixa renda, com uma média de área cultivada entre um e dez hectares. Estas unidades demonstraram excelente forma de cultivo para o pequeno produtor por trazer tecnologias alternativas, além de ser utilizada para ministrar aulas práticas para estudantes e agricultores da região. Sendo destinada uma área de 01 (um) hectares de algodão para a aplicação de novas tecnologias, através da Implantação de Unidades Demonstrativas em cada localidade de pequenos produtores será desenvolvida uma metodologia de trabalho específica, considerando as particularidades dessas microrregiões.

Espelhado no projeto desenvolvido pela ABAPA a região tem aumentado a área cultivada com algodão em sistema irrigado por gotejamento, aspersão e micro aspersão, nesta safra já são aproximadamente 400,0 hectares de algodão e outras culturas irrigados espelhados neste projeto. Com isso garantindo ao produtor permanência no campo, evitando assim o aumento do êxodo rural. No Sudoeste ainda constata-se que ainda há um grande número de produtores que cultivam a soqueira de algodão, porém, neste ano de 2018 observou-se uma redução, após os trabalhos de conscientização que os assistentes técnicos estão realizando junto a estes produtores. As visitas aos agricultores foram freqüentes, assim como às 11 unidades beneficiadoras de algodão (algodoeiras) da região foram acompanhadas e visitadas.

Registros:

 

Visita dos técnicos da Abapa e BCI/ABR às pequenas propriedades do sudoeste da Bahia

Dia de Campo do Algodão no Sudoeste da Bahia

Solenidade Entrega de kits de algodão no Vale do IUIU – novembro de 2017