» Centro de Análise de Fibras de Algodão

Qualidade – Centro de Análise de Fibras de Algodão

A Abapa é referência em análise de qualidade de fibra no Brasil, com instrumentos posicionados entre os melhores do mundo, como é o caso dos seus equipamentos de High Volume Instruments – HVI, de Luís Eduardo Magalhães. Em 2016, eles ficaram ranqueados entre os dez melhores do mundo, nas quatro últimas rodadas de testes realizadas pela Padronização Comercial dos Instrumentos de Testes de Algodão (CSITC), e com uma média superior à global. Essa posição no ranking valida o alto nível instrumental do Centro de Análise de Fibras da Abapa e confere credibilidade ao processo de certificação.

Em Luís Eduardo Magalhães, fica o Centro de Análise de Fibras, unidade principal do complexo de laboratórios da Abapa, dotada para promover a classificação visual e por HVI. Maior do gênero na América Latina, ele tem capacidade instalada para receber 18 mil amostras de algodão diariamente.

Além do Centro, a Abapa dispõe de um laboratório apto a realizar classificações por instrumentos em Roda Velha, distrito de São Desidério.

 CBRA

Desde dezembro de 2016, o Centro de Análise de Fibras da Abapa passou a fazer parte da rede integrada do Centro Brasileiro de Referência em Análise de Algodão (CBRA). Trata-se de um laboratório central de verificação e padronização dos processos classificatórios do algodão brasileiro que atuará para garantir a qualidade e a credibilidade dos resultados aferidos nos diversos laboratórios instalados no território nacional. A estrutura é parte do programa Standard Brasil HVI–SBHVI, da Abrapa, e sua implantação representou um investimento de, aproximadamente, R$9 milhões, de um total de cerca de R$50 milhões investidos em todo o Programa de Qualidade.

O CBRA integra toda a rede de laboratórios de análise de fibras do Brasil, atualmente formada por 14 unidades que somam 63 máquinas de HVI. Um sistema operacional unificado permite leituras de resultados em tempo real, com análise de desempenho de cada instrumento. Por amostragem, o CBRA analisará aleatoriamente 1% da safra nacional. A tecnologia HVI afere as características intrínsecas e extrínsecas da fibra, que incluem comprimento, resistência, reflectância, uniformidade, dentre outros.