» Abapa reforça monitoramento das pragas do algodoeiro no Sudoeste

Na safra 2011/12 a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) vai intensificar o trabalho de monitoramento e controle do bicudo na Região Sudoeste. Com apoio do Fundeagro e da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), a Abapa idealizou projeto para implantação de tubos mata bicudos nas lavouras de algodoeiro da região.

De acordo com o coordenador do programa na Abapa, José Lima Barros, a ideia é alcançar 100% das propriedades que realizam o plantio de algodão no Sudoeste. “A região tem uma alta infestação de bicudo”, conta o coordenador, lembrando que no oeste a tecnologia vem sendo utilizada com regularidade.

“O tubo mata bicudo é o único dispositivo existente hoje no país capaz de atrair e matar a praga”, justifica José Lima. Parte do material adquirido, segundo o coordenador, será doado para os pequenos produtores do sudoeste, os quais representam a maioria das propriedades da região, focada na agricultura familiar.

No último dia 18 de agosto, durante o IV Dia de Campo Algodão Sustentável, realizado no município de Palmas do Monte Alto, o coordenador pode demonstrar na prática como vai funcionar o projeto e quais as vantagens do uso dos tubos mata bicudos nas áreas de cultivo de algodão. “A demonstração feita no Dia de Campo teve grande repercussão junto aos pequenos produtores da região”, conta José Lima.

Monitoramento
O trabalho preventivo de controle do bicudo e outras pragas do algodão, realizado pela Abapa com apoio do Fundeagro, nas regiões oeste e sudoeste da Bahia, é feito por uma equipe de técnicos agrícolas que realizam visitas sistemáticas em todas as áreas de algodão, algodoeiras, áreas de rotação e estradas da região. Neste monitoramento os produtores recebem orientação sobre as melhores estratégias para o controle do bicudo, além de informações sobre prazos para plantio, destruição de soqueira, tigueras e transporte correto de algodão e caroço.