» Cotações do algodão caem e prejudicam comercialização do produto

As cotações do algodão acentuaram a queda neste mês. Segundo analistas, há revisões e até cancelamentos de contratos de compra e venda do produto. No oeste da Bahia, já se prevê redução de área plantada. Os dados do Cepea não deixam dúvida. As cotações do algodão estão cada vez menores. O indicador com prazo de pagamento de oito dias, por exemplo, teve queda de mais de 17% em junho. Nos primeiros dias de julho, a baixa é de quase 6%, com a cotação em torno de R$ 1,80.

O presidente do Grupo Brasileiro de Consultores de Algodão, Celito Breda, explica que a oferta está grande. Com isso, no oeste da Bahia, que detém 30% da produção nacional, já se fala em área plantada menor por causa dos preços em baixa. “O mercado caiu bastante. Em função disso, podemos afirmar que não deve ter aumento de área para o ano que vem. A área plantada na safra 2011/2012, na Bahia, provavelmente, vai se manter ou até pode cair um pouco, em torno de 10% a 15%”, explicou.

A consultora de mercado Maria de Lourdes Yamaguti explicou que além da oferta maior, não há demanda por algodão. A indústria não vai comprar a matéria-prima até vender os produtos estocados. “A indústria não consegue vender aquele fio, aquele tecido que fez quando o mercado estava a R$ 3. Então, os estoques dentro da fábrica não são de algodão, são de produtos acabados”, esclareceu.

Essa situação tem levado a renegociações e até cancelamentos de contratos de compra da fibra. “No ano passado, nos tivemos problemas incríveis, muitos casos de arbitragem em bolsa, em função de que o vendedor não queria entregar o produto porque o preço subiu bastante. Este ano, nós estamos vendo o inverso, as fábricas cancelando ou renegociando”, afirmou.

Os cancelamentos e renegociações de contratos são preocupações do produtor Alexandre Lopes. Ele começa a colher no fim deste mês o algodão que produz em 300 hectares no município de Campo Verde, Mato Grosso. “O produtor espera que, da mesma forma que ele honrou quando os contratos não estavam interessantes, a indústria cumpra o combinado, os agentes compradores honrem também aqueles contratos que foram relativamente altos” desabafou.

Fonte: Canal Rural