» Monitores de fazendas são treinados para combater pragas e doenças na agricultura

O combate às pragas e doenças nas culturas da soja, milho e algodão do oeste da Bahia é alvo ininterrupto de ações coletivas entre as instituições do agronegócio. E, com a proximidade do período de plantio de um nova safra, estes cuidados estão sendo redobrados. Durante toda a terça-feira (9) e a quarta-feira (10), profissionais que atuam em fazendas da região estão recebendo uma capacitação para se tornarem monitores potenciais no combate à estas ameaças que assolam as principais culturas do oeste baiano.

O curso, realizado no auditório da Fundação Bahia, em Luís Eduardo Magalhães é uma iniciativa dos gestores do Programa Fitossanitário, composto pela Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Sindicato de Produtores Rurais de Barreiras (SPRB), Sindicato dos Produtores Rurais de Luís Eduardo (SPRLEM), Aprosoja, Fundação Bahia e Prefeitura de Luís Eduardo Magalhães.

Na programação, palestras sobre manejos de pragas e doenças nas culturas da soja, milho e algodão. Legislação de Defesa Fitossanitária do Estado da Bahia, Manejo de insetos no sistema agrícola no oeste da Bahia e apresentação de resultados de pesquisas de nematoides, realizadas pela Fundação Bahia.

De acordo com o coordenador do Programa Fitossanitário da Abapa, Antônio Carlos Araújo, o treinamento agrega valores a todos os envolvidos na cadeia produtiva, para que no campo avaliem e diagnostiquem os problemas para as futuras e possíveis decisões. “O monitoramento é o elo fundamental no processo produtivo, por isso estamos treinando e capacitando os monitores tanto do projeto Fitossanitário da Abapa assim como todos os das regiões produtoras”, explica.