Pequenos produtores de algodão contam com projetos de irrigação de estaduais

Publicado em: 20/05/2020 às 10:12:52

Compartilhe:

Ações das estaduais da Abrapa garantem irrigação em propriedades familiares de Minas Gerais e Bahia durante período de estiagem

Os pequenos produtores de algodão contam com o constante apoio das associações estaduais, cujas ações estão sempre focadas na produção sustentável. Uma das iniciativas que mais impactam positivamente o trabalho destes trabalhadores são os projetos de irrigação complementar da Abapa – Associação Baiana de Produtores de Algodão – e da Amipa – Associação Mineira de Produtores de Algodão.

IRRIGAÇÃO DE SALVAMENTO NO NORTE DE MINAS GERAIS
Há 20 anos, a Amipa se dedica ao incentivo à agricultura familiar, voltando suas ações à produção do algodão restrita ao norte do estado. O algodão é uma das poucas atividades agrícolas que ainda geram renda às 120 famílias locais, por conta das constantes secas que atingem a região há anos.

Neste cenário, a implantação de Unidades Demonstrativas de Algodão em regime de irrigação de salvação criou condições de armazenamento das águas de chuvas nos meses de precipitação abundante, como dezembro, e sua utilização nos meses de estiagem. A proposta abrange também o uso de água de poços tubulares nos municípios de Catuti e região.

Com essa implantação, a produtividade sai de 860 quilos de algodão em caroço por hectare (em regime de sequeiro) para 3.250 quilos por hectare (com a irrigação de salvamento). Até o momento, o volume de água reservada em tanques construídos pela Amipa é de 1.794.000 litros.

Trabalhadores recebem instruções sobre uso dos equipamentos de irrigação | Foto: Amipa

KITS DE IRRIGAÇÃO EM SÃO DESIDÉRIO
A Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) se organizou para ajudar a comunidade agrícola durante a pandemia do novo coronavírus. No fim de abril, sete famílias da zona rural do município de São Desidério, na Bahia, foram beneficiadas com kits de irrigação para garantir a produção.

Um dos beneficiados, Janderson Soares, da comunidade de Calidé II, afirma que o kit de irrigação vai reforçar seus projetos com as culturas do tomate e pepino. “O kit da Abapa é mais um grande incentivo. Agora poderei ampliar minha produção e também vender para as pessoas da cidade”.

Para o diretor-executivo da Abapa, Lidervan Morais, a intenção é fomentar o pequeno agricultor a formar uma base econômica sólida. “Os projetos de irrigação contam com o apoio dos governos municipais que detêm as informações de quem de fato precisa desse auxílio. A Abapa entra com os recursos e as prefeituras com a assistência técnica. Estamos pensando em longo prazo e queremos, daqui para frente, contemplar um maior número de famílias”, afirma.

Lindervan Morais destacou que os produtores de algodão têm vários projetos sociais que beneficiam moradores da zona rural e urbana | Foto: Abapa

O projeto, iniciado em 2014, já beneficiou cerca de 200 famílias no Oeste e Sudoeste baianos. Para este ano, segundo o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato,  ao longo desta safra 2019/2020 foi investido um montante de R$ 500 mil para a aquisição de materiais de irrigação com recursos dos produtores de algodão através do Fundeagro.  “Queremos continuar alavancando o potencial do pequeno agricultor e apoiar as famílias de comunidades rurais, valorizando aqueles que busca crescimento através do trabalho no campo”, afirma.