» VIII Congresso Brasileiro do Algodão reforça importância da Bahia para cotonicultura brasileira

20111007104449

A oitava edição do Congresso Brasileiro do Algodão realizada entre os dias 19 e 22 de setembro, na Expo Center Norte em São Paulo confirmou o bom momento da cotonicultura baiana. Com previsão de crescimento de 5% da área de cultivo para a safra 2011/2012, a Bahia registrou na última safra produção superior a 600 mil toneladas de pluma, o que equivale a pouco mais de 31% de toda produção de algodão brasileira no período.

Para a presidente da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Isabel da Cunha, o grande número de congressistas baianos no evento reflete as oportunidades de desenvolvimento que as regiões oeste e sudeste oferecem para o cultivo da pluma. “Vivemos em um cenário de expansão, onde existem condições climáticas e de território para o crescimento da cultura do algodão”, observou Isabel.

A programação de palestras e eventos do congresso também contemplou a realidade da cultura algodoeira na Bahia. Na manhã da terça-feira, 20, o presidente da Aproleite, Aurelizo Costa de Jesus, participou de mesa redonda para debate da realidade da cultura do algodoeiro na agricultura familiar no país. Também no dia 20, o sócio-diretor da Abapa e coordenador do programa Soqueira Zero participou de sala especializada sob o tema “Novos Problemas de pragas do algodão e do sistema Algodão-Soja-Milho”.

O ex-presidente do Fundeagro, Ezelino de Carvalho foi outro que apresentou um pouco da realidade do oeste baiano, palestrando no debate que discutiu as tecnologias transgênicas e seus custos dentro e fora do país. Representaram a cotonicultura baiana em São Paulo, produtores, consultorias e representantes de empresas do setor agrícola em geral.