Projeto Patrulha Mecanizada: recuperação e conservação de estradas vicinais reduzem custos de transporte e preservam meio ambiente

Publicado em: 13/02/2020 às 11:21:22

Compartilhe:

FONTE: IBA

Iniciativa, que teve início em 2012, beneficia diretamente os produtores de algodão da região Oeste da Bahia

Há sete anos, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) criou o Projeto Patrulha Mecanizada, que prevê a recuperação, manutenção e conservação das estradas vicinais do Oeste da Bahia. A iniciativa, que conta com o apoio do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), atua no início da cadeia produtiva da indústria têxtil, ou seja, na chegada de insumos até o escoamento da produção.

Além de reparar as vias que dão acesso às fazendas produtoras de algodão, outro ponto do programa é a conservação dos recursos naturais da região. “A recuperação das estradas visa segurança, conforto e trafegabilidade aos usuários, ao mesmo tempo em que reduz os efeitos da erosão e do assoreamento dos cursos d’água”, explica David Tavares, coordenador do programa Patrulha Mecanizada, da Abapa.

Segundo Tavares, antes do projeto só existiam duas alternativas: ou os produtores se juntavam e faziam as manutenções das estradas ou aguardavam os órgãos competentes. Com isso, o índice de caminhões que quebravam nesses lugares era maior, impactando diretamente no preço do frete e no valor da produção. Além disso, a degradação do solo, o escoamento da água da chuva para as lavouras e o assoreamento dos rios eram também fatores que comprometiam a produção.

Como é feito o trabalho

Para conservar os recursos naturais nas lavouras de algodão, foram construídas bacias de captação, cujo objetivo era evitar que as enxurradas levassem as camadas de solos aos rios, provocando a formação de bancos de areia e o consequente assoreamento do lençol freático. Em paralelo, as vicinais foram recuperadas, cascalhadas e conservadas.

Os resultados são bem expressivos: ao todo, 28 vicinais da região Oeste da Bahia passaram por manutenção, recuperação ou conservação, totalizando aproximadamente 2,5 mil quilômetros. Foram criadas cerca de sete mil bacias de captação de águas pluviais, sete mil desvios laterais e 300 terraços. “O projeto garante infraestrutura e manutenção de uma equipe técnica qualificada para a continuidade das ações”, diz Tavares.

Em 2019, foram pavimentados 73 quilômetros de estradas e, para o primeiro semestre de 2020, já está programado o asfaltamento de mais 31 quilômetros. Desde a criação do programa, foram investidos aproximadamente R$ 30 milhões para a aquisição de máquinas, manutenção e custeio das operações, com recursos dos agricultores baianos, por meio do IBA, Prodeagro, Fundeagro, parceria com os municípios e apoio dos próprios produtores.

Essas iniciativas resultaram no aumento da competitividade do produto, maior valor agregado, redução de custos no transporte, desenvolvimento de fluxo de comercialização e conservação ambiental.