» Abrapa alinha certificadores e associadas às diretrizes do Programa ABR em 2016/17

Uma visita realizada ontem (31/01) à Fazenda Pamplona, localizada a 70 quilômetros de Brasília, no município de Cristalina – GO, encerrou dois dias atividades de alinhamento para a safra 2016/17 entre as equipes da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão – Abrapa, certificadoras e associações estaduais afiliadas, envolvidas no Programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR). O ABR é uma certificação conferida pela Abrapa às fazendas produtoras que cumprem à risca uma série de critérios de ordem social, ambiental e econômica estabelecidos pelo programa para a garantia de sustentabilidade da produção da fibra brasileira, e o reconhecimento desse status nos mercados interno e externo. Na safra 2015/16, 81% da produção nacional de algodão foi certificada, um recorde desde a criação do programa, em 2009.

As reuniões de alinhamento enfocaram, principalmente, os aspectos ambientais e trabalhistas do ABR. Na fazenda, os participantes conheceram na prática parte dos procedimentos administrativos e operacionais de uma unidade de produção que detém, além da certificação ABR, o selo da Better Cotton Iniciative (BCI), chancela internacional de sustentabilidade que atua em benchmark com o ABR. Os protocolos do Programa atendem à legislação Trabalhista e Ambiental do Brasil, excedendo por vezes o texto das leis em função das especificidades da atividade agrícola.

“Nosso objetivo, nesses dois dias, foi discutir as diretrizes para a safra 2016/17 do programa, e, ainda, estabelecer referências para que as instituições certificadoras possam tomar decisões com mais segurança ao auditar o cumprimento dos protocolos”, afirma o coordenador de Sustentabilidade da Abrapa, Fernando Rati.

A Fazenda Pamplona, do Grupo SLC, produz, majoritariamente, algodão, soja e milho, sendo uma referência em boas práticas na agricultura. “É muito gratificante poder partilhar a nossa experiência. Cumprir os protocolos nos traz benefícios de imagem, mas também de gestão, na medida em que reduz os desperdícios de tempo, de materiais, melhorando inclusive, nosso relacionamento com os colaboradores”, afirmou o gerente Marcelo Peglow. O coordenador de Segurança e Saúde Ocupacional da fazenda, Régis Roehe destacou os ganhos nas rotinas produtivas da fazenda, quando ajustados nos procedimentos do programa. A Pamplona dispõe de equipes de fiscalização interna que auditam regularmente o cumprimento dos itens. “Eles garantem entre outras coisas o bem-estar geral de quem trabalha na unidade, e isso fortalece o nosso capital humano”. No primeiro dia de reunião de alinhamento (30/01), a ênfase foi para meio ambiente, com apresentação ministrada pelo coordenador de Sustentabilidade da CNA, Nelson Ananias Filho.

1° de fevereiro de 2017
Imprensa Abrapa