Projeto Patrulha Mecanizada

Por priorizar os três pilares da sustentabilidade e acreditar que a iniciativa privada pode e deve aportar recursos e esforços em benefício do bem-estar geral, a Abapa criou o Projeto de Aquisição de Máquinas, Insumos e Veículos Auxiliares para a Conservação dos Recursos Naturais da Lavoura de Algodão e Escoamento da Produção, também conhecido como Patrulha Mecanizada.

O objetivo desse projeto é recuperar estradas vicinais e contribuir para a conservação dos recursos naturais nas lavouras de algodão, o que acarreta agilidade e segurança no escoamento da safra, com consequentes ganhos de produtividade.

Além do público diretamente ligado à produção de algodão e de outras culturas agrícolas, as comunidades vizinhas às rodovias recuperadas e os usuários dessas estradas são beneficiados pelo Patrulha Mecanizada. Dentre muitos exemplos, o Patrulha Mecanizada favorece o trânsito de moradores, o transporte escolar e até o deslocamento de pacientes para as instituições de saúde das diversas cidades. Aqueles que moram em municípios diferentes de onde estudam ou trabalham, graças ao projeto, podem realizar seus trajetos diários em menos tempo e com mais segurança.

O Patrulha Mecanizada é financiado pelo Instituto Brasileiro do Algodão – IBA, executado pela Abapa, e conta com a parceria dos produtores da região, do Fundo para o Desenvolvimento do Agronegócio do Algodão – Fundeagro e das Prefeituras Municipais. Em 2016, o Projeto fechou parceria com a Aiba  e o Prodeagro.

Resultados

Criado em 2013, o Patrulha Mecanizada já recuperou um total de 3 mil quilômetros, em 43 estradas vicinais, especificamente do Oeste, principal polo produtor da Bahia. Foram realizadas, nestes sete anos, intervenções de manutenção, recuperação ou conservação. Comparando, a soma de todas as vias abrangidas pelo Programa seria equivalente a uma rodovia que ligasse as capitais Salvador (BA) e Porto Alegre (RS). Para obter estes resultados, os produtores rurais baianos investiram aproximadamente R$ 40,2 milhões para a aquisição de máquinas, manutenção e custeio das operações do Programa.

Nos últimos dois anos, os produtores baianos deram mais um salto em qualidade. Eles passaram a pavimentar as estradas, que eram gradualmente deterioradas pelas chuvas e pelo tráfego intenso de carga e descarga. Foram pavimentados 118,5 quilômetros, destacando-se, em 2020, o trecho de 31 quilômetros e a requalificação de outros 14 quilômetros da Linha Timbaúba, em Luís Eduardo Magalhães. O Programa também pavimentou o trecho de 40,5 quilômetros da rodovia Rio Grande, e o de 33 quilômetros da Estrada da Soja, ambas em São Desidério.

 

 

Compartilhar:
;